a versão 2 do naPraia... o original começou em http://napraia.blogs.ca.ua.pt
pesquisar neste blog
posts recentes

E com este são 10.000 posts :)

SAPO Campus: uma experiência em desenvolvimento (resumo)

Quem é que na UA conhece o Sapo Campus UA?

"Where we go from here?"

Sapo Campus Escolas: Apresentação de conceito

Videojogos em LabMM 3/NTC/UA

Avaliação: 150 itens por aluno?

E se publicar um post significar alguma coisa para alguém?

Aveiro By Water video

Facebook: like + dislike = ?

arquivos

Fevereiro 2013

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011
Facebook: like + dislike = ?

O Facebook é tramado e muitas vezes deixa-me sem saber o que pensar...

 

Ontem publiquei um post sobre "Auto e hetero avaliação: como colocar em prática?". Para o divulgar utilizei essencialmente o facebook (a minha timeline e alguns grupos relacionados com a temática). Essa estratégia correu bastante bem e, como resultado, obtive comentários muito interessantes para a temática do post.

Sem a ajuda do Facebook dificilmente teria conseguido uma divulgação e interacção com tantas pessoas e por isso sai um Like! :)

 

Por outro lado, os comentários recebidos ainda ontem já começam a ficar perdidos no poço sem fundo que o facebook representa para a informação partilhada. Se esses comentários tivessem sido colocados no próprio post seriam muito mais úteis no futuro e, mesmo agora, seria mais simples ligar as diferentes discussões que surgiram em contextos de divulgação distintos.

E é aqui que sai o Dislike! :(

 

Like + Dislike = ?

 

Fica a interrogação para que possam ajudar a responder, no entanto, uma solução que julgo ser interessante passa por pedir autorização às pessoas que fizeram os comentários mais relevantes e copiá-los manualmente aqui para o blog...


tags: , , , ,

publicado por carlossantos às 12:04
5

Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2011
Auto e hetero avaliação: como colocar em prática?

No início do Mestrado em Multimédia em Educação (2004?) senti a necessidade de colocar em prática uma estratégia de avaliação que me permitisse avaliar o contributo individual dos elementos de um grupo de trabalho. Esta necessidade era reforçada porque era a primeira vez iria leccionar uma disciplina em regime de b-learning, onde o trabalho prático era realizado essencialmente a distância. Se já era complexo avaliar os grupos em regime presencial, pareceu-me óbvio que seria muito mais difícil nessa nova aventura que iria começar.

Das várias pesquisas que efetuei sobre estratégias de auto e hetero avaliação são de destacar duas soluções que me foram apresentadas na altura:

Com base nestes contributos acabei por desenvolver a minha própria estratégia que, resumidamente, passa por uma única questão à qual os alunos têm que responder individualmente utilizando uma grelha muito simples de responder e posteriormente tratar.

 

A questão:

Para cada elemento do seu grupo de trabalho (inclusivamente quem está a avaliar), indique qual das seguintes classificações melhor se aplica, tendo em atenção o contributo desse elemento para o resultado final do trabalho da disciplina.

 

A grelha:

5 - Muito superior à média
4 - Superior à média
3 - Idêntico à média
2 - Inferior à média
1 - Muito inferior à média
0 - Não participou

 

Para receber estes dados utilizei várias estratégias, tais como: envio de email, preenchimento de um formulário online ou o envio da folha de excel partilhada aqui.

A formulação da questão tem evoluído e sido adaptada por várias pessoas. Inicialmente foi algo que desenvolvi para as minhas disciplinas do MMEd mas rapidamente foi adoptada por mim noutras disciplinas de NTC e por outros colegas em várias disciplinas de todos os ciclos de ensino da Universidade de Aveiro.

 

Como colocar em prática?

Nesta estratégia, a opinião transmitida pelos alunos é meramente qualitativa. São eles que têm a possibilidade de informar os docentes sobre o contributo que cada um deu para o resultado final que conseguiram obter no trabalho de grupo. No final, é da responsabilidade do professor compilar essa informação e verificar se consegue obter informação suficiente que lhe permita diferenciar as notas dos alunos de um modo sustentado.

Obviamente que nem sempre é possível! Mas, da minha experiência na sua aplicação, na grande maioria dos casos, rapidamente conseguimos obter uma visão geral dos diferentes contributos (se existirem grandes divergências dentro de um grupo a solução passará pela reunião e discussão entre todos).

 

Uma pequena demonstração da sua aplicação...

Alguns jogadores da equipa do SCP da época 1986/87 vão avaliar o seu contributo para o histórico 7-1 :)

 

Exercício de auto e hetero avaliação: SCP 7 - SLB 1
 Manuel FernandesMário JorgeVitor DamasFernando Mendes
Manuel Fernandes 5 54 5
Mário Jorge 4 4 3 5
Vítor Damas 2 2 3 5
Fernando Mendes 21 2 5

 

Nesta tabela, em cada coluna foram colocados as avaliações enviadas por cada elemento. Por exemplo, olhando para a primeira coluna com dados, podemos observar que o Manuel Fernandes deu 5 a ele próprio, 4 ao Mário Jorge, 2 ao Vítor Damas e 2 ao Fernando Mendes.

Deste modo, observando os dados de uma linha, muito rapidamente conseguimos ficar com uma ideia das diferentes opiniões sobre o contributo de cada elemento. Por exemplo, o Manuel Fernandes foi classificado de um modo bastante positivo por todos os elementos.

 

Normalização dos dados

Olhando para os dados da tabela anterior com mais atenção facilmente percebemos que o Fernando Mendes não compreendeu este exercício (e isso é algo que acontece com vários elementos de vários grupos). Não está em causa que o desempenho do SCP foi excelente! Neste exercício não se pretende comparar desempenhos entre os diferentes grupos/equipas, pelo que - obviamente - se alguém considera que nenhum elemento do grupo deve ser destacado então a nota a atribuir a todos deve ser 3.

Do ponto de vista matemático, o ideal seria garantir que a média das notas dadas por qualquer elemento é próxima de 3. Por esse motivo, e embora tenha alguns colegas que não concordam, acho muito útil tentar normalizar as respostas de modo a garantir a tal média aproximada de 3. Mas sem exagerar! Por exemplo, a média das avaliações do Manuel Fernandes não dá exatamente 3 mas o exercício foi bem colocado em prática e por isso não é necessário alterar os dados. 

 

Exercício de auto e hetero avaliação: SCP 7 - SLB 1 (Normalizado)
 Manuel FernandesMário JorgeVitor DamasFernando Mendes
Manuel Fernandes 5 543
Mário Jorge 4 4 33
Vítor Damas 2 2 33
Fernando Mendes 21 23

 

A avaliação individual

Normalmente, utilizo este exercício para diferenciar as avaliações individuais entre +2 e -2 valores (em alguns casos também já apliquei diferenças de +3 a -3).

Nos resultados anteriores é óbvio que o Fernando Mendes optou por não colaborar na avaliação e não se preocupou em diferenciar as avaliações. Esta situação acontece várias vezes, principalmente com os elementos que tiveram um contributo menos relevante para o trabalho de grupo. Nestas situações, não existindo uma opinião idêntica por parte de todos os elementos do grupo, o melhor será não ter em grande consideração este contributo.

Com base nesta informação já devidamente normalizada, após uma análise cuidada, a avaliação final poderá ser algo deste tipo:

 

Exercício de auto e hetero avaliação: SCP 7 - SLB 1 (Ponderação)
 Manuel FernandesMário JorgeVitor DamasFernando MendesPonderação
Manuel Fernandes 5 543+2
Mário Jorge 4 4 33+1
Vítor Damas 2 2 33-1
Fernando Mendes 21 23-2

 

Aqui poderia ser útil uma descrição do meu processo para a decisão das ponderações finais mas não é algo simples de transformar num algoritmo. Dos resultados obtidos, julgo ser relevante reter os seguintes pontos que me ajudaram a chegar à ponderação final:

O resultado final

Admitindo que a avaliação do SCP enquanto equipa teria sido de 18 valores (o que seria mesmo assim injusto dada a goleada histórica!), as classificações individuais seriam as seguintes:

 

Resultados individuais
 Nota equipaPonderaçãoNota individual
Manuel Fernandes18+220
Mário Jorge18+119
Vítor Damas18-117
Fernando Mendes18-216

 

 

Conclusões

Esta é apenas uma pequena demonstração do modo como esta estratégia de auto e hetero avaliação me tem ajudado a atribuir classificações individuais mais justas para todos. O caso aqui apresentado é um exemplo "simples" e, mais tarde, talvez volte a escrever sobre este assunto para destacar outros casos que podem ser mais complexos de decidir.

Para já, se estiverem interessados, podem utilizar, adaptar ou modificar este trabalho livremente. Se o fizerem, a única coisa que gostava era que deixassem um comentário a descrever onde e como o vão utilizar e, se possível, os resultados que obtiveram da sua aplicação.

 

PS. Do jogo dos 7-1 só me recordo mesmo do resultado. Provavelmente estou a ser muito injusto para o Vítor Damas e para o Fernando Mendes. As minhas desculpas a ambos!

PS2. Outras coisas que escrevi relacionadas com avaliação, neste caso sobre avaliação da participação online...

PS3. Obrigado à Mónica Aresta pelo trabalho de revisão do texto.


tags: , , , , ,

publicado por carlossantos às 15:13

mais sobre mim
tags

todas as tags

links
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários