a versão 2 do naPraia... o original começou em http://napraia.blogs.ca.ua.pt
pesquisar neste blog
posts recentes

E com este são 10.000 posts :)

SAPO Campus: uma experiência em desenvolvimento (resumo)

Quem é que na UA conhece o Sapo Campus UA?

"Where we go from here?"

Sapo Campus Escolas: Apresentação de conceito

Videojogos em LabMM 3/NTC/UA

Avaliação: 150 itens por aluno?

E se publicar um post significar alguma coisa para alguém?

Aveiro By Water video

Facebook: like + dislike = ?

arquivos

Fevereiro 2013

Maio 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Sexta-feira, 8 de Dezembro de 2006
e-Learning 2.0
Future VLE
(imagem de Scott Wilson)

O termo e-Learning 2.0 apareceu pela primeira vez em Outubro de 2005 num artigo escrito pelo Stephen Downes na elearn magazine. Neste artigo é apresentada uma reflexão muito interessante sobre os desenvolvimentos recentes ao nível da educação e da tecnologia. Combinando os desenvolvimentos nestas duas áreas, o autor apresenta o novo conceito de e-Learning 2.0 (recomendo vivamente a leitura deste artigo a todos os interessados por esta temática das novas tecnologias da informação e comunicação em contextos educativos). Após a leitura do artigo podem ver e ouvir aqui uma das muitas apresentações realizadas pelo Stephen Downes sobre esta temática.

A designação "e-Learning 2.0", tal como aconteceu com a designação "Web 2.0", desde o início que foi alvo de muitas críticas e na realidade não tem sido adoptada pela comunicade científica. Lembro-me de ler num blog (não me recordo do nome do autor) uma observação interessante sobre esta questão - "a designação e-learning 2.0 até é interessante... desde que se retire o e- e o 2.0" :). Do que me lembro, a argumentação era no sentido de que no fundo estamos apenas a falar de aprendizagem, porque a tecnologia a a distância (no sentido de localização espacial) são hoje em dia factores meramente secundários (já que faz parte da nossa cultura actual utilizar a tecnologia e comunicar a distância), não fazendo por isso sentido continuar a dar-lhes um relevo tão grande como esta designação sugere.

Este artigo surge integrado numa discussão mais vasta sobre o que deve ser um Personal Learning Environment (PLE). Este é um conceito recente e também motivo de um grande debate (ver por exemplo os links apresentados em What constitutes personal learning environments? do Sebastian Fiedler. Muito resumidamente, o conceito principal de um PLE passa pela utilização da tecnologia para construir um ambiente de aprendizagem centrado no indivíduo e que o acompanha ao longo da vida.

O conceito de um PLE é muito diferente do conceito de LMS (e ainda mais distante do conceito de LCMS!). A discussão gerada em volta deste conceito vai mesmo no sentido de tentar perceber o impacto dos PLE na organização actual dos nossos sistemas educativos (ver por exemplo, University 2.0 do D'Arcy Norman).

Embora nos links anteriores encontrem muita informação sobre PLEs, julgo que é importante lerem o artigo Personal Learning Environments: Challenging the dominant design of educational systems do Scott Wilson (e outros). Neste artigo é apresentado com maior detalhe o diagrama que utilizei como ilustração deste post e que foi publicado pela primeira vez num post com o título Future VLE - The Visual Version.

Muito mais havia para dizer sobre esta temática, mas para um post de introdução parece-me ter já demasiada informação.

Boas leituras... e comentários ;)
tags: , , , ,

publicado por carlossantos às 17:03

13

De Miguel Ribeiro a 8 de Dezembro de 2006 às 19:02
Olá,
Enquanto me preparava para iniciar a leitura dos artigos sugeridos deparei-me com um novo conceito: identidade digital. É um conceito muito interessante, representado num esquema muito bem conseguido. O conceito de identidade digital, apesar de mais amplo, julgo poder adaptar-se a este modelo de aprendizagem, baseado na utilização das ferramentas da web 2.0.
Quem quiser dar uma vista de olhos:
link (http://www.fredcavazza.net/index.php?2006/10/22/1310-quest-ce-que-lindente-numerique&cos=1)

:( en français

Abç
Miguel


De csantos a 8 de Dezembro de 2006 às 19:23
Exactamente Miguel.

O conceito de identidade digital é um dos fundamentos apresentado pelos defensores dos PLE.

Se consultarem o blog do Scott Wilson vão encontrar um post sobre "digital identity mapping" contendo um link para o artigo do Fred Cavazza indicado pelo Miguel.

Já agora... para além de tantas coisas que julgo poderem ser discutidas sobre o post que coloquei, alguém quer tentar explicar este conceito de identidade digital e qual a sua relação com os PLEs?


De Zito a 8 de Dezembro de 2006 às 22:27
Já conhecia o superficialmente o termo e-learning 2.0. Mais tarde postarei um comentário sobre a temática.
Acerca do tal "2.0" temos agora os termos: media 2.0, business 2.0, e-learning 2.0, web 2.0, identity 2.0, and so on, and so on... Aiai, markting 2.0...
Sobre a identidade digital (parece-me que também há quem chame "Identity 2.0", corrijam-me se estiver errado) encontrei esta apresentação em flash ou quicktime de Dick Hardt: http://www.identity20.com/media/OSCON2005/
--
Para explicar o que é a identidade digital em poucas palavras:
http://www.digital-identity.info/

Até amanhã!
Zito


De Zito a 8 de Dezembro de 2006 às 22:29
Ups faltou um "espaço" antes do http no 1º link...

Sorry ;)


De Célia a 8 de Dezembro de 2006 às 23:22
Olá,

Só agora tive oportunidade de ler este post... e tendo em conta o avançado da hora, tenho consciência de que nenhuma das leituras que fizesse agora seriam produtivas. Contudo, mediante os comentários que li, surgiu um conceito que me é familar... a identidade digital. Digo que me é familiar, porque já tive oportunidade de realizar um workshop na Universidade do Minho sobre e-portefolios, coisa que na altura apregoavam como sendo a identidade digital de uma qualquer pessoa. Ter um e-portefolio era ter uma identidade digital.
Nesse mesmo workshop todos tivemos oportunidade de criar um através da plataforma ELGG (http://elgg.net), coisa que alias é muito fácil....
Se alguém tiver interesse nisto eu poderei digitalizar o manual a que tivemos acesso, para a criação de um e-portefolio....


De csantos a 8 de Dezembro de 2006 às 23:33
Obrigado Zito.

Corrigi a falta do espaço no comentário inicial.

Pelo que percebi, os recursos indicados abordam a questão da identidade digital essencialmente na perspectiva tecnológica da necessidade de um sistema de autenticação global. Existe no entanto outra forma de olhar esta questão, menos tecnológica e mais numa perspectiva social.


De csantos a 8 de Dezembro de 2006 às 23:39
Olá Célia!

Muito interessante trazer para esta discussão a plataforma ELGG que está a ser desenvolvida tendo por base o conceito de PLE e que é considerada uma das que neste momento se consegue aproximar mais dos objectivos propostos.

Como estou registado, fiz uma pesquisa por "Célia" e encontrei-a logo :D


De Isabel Barbosa a 9 de Dezembro de 2006 às 00:09
Viva,
Penso que na linha do Zito, encontrei uma perspectiva de "digital identity" de âmbito tecnológico, complementado pela sua função "social"...
É uma imagem interessante, integrada num post relativo ao assunto, fica aqui a ligação:
http://blog.crowdstorm.com/?p=78


De Isabel Barbosa a 9 de Dezembro de 2006 às 00:18
Bem, a imagem já aparece no blog do Scott Wilson... é o adiantadado da hora...
De qualquer forma, o que me interessou particularmente foi a visualização do conceito... pois estava a associar o conceito às "árvores do conhecimento" de Pierre Levy (http://www.ddic.com.br/arquivos/Arvores Conhecimento Levy.pdf) e ao projecto NECTAR (Erasmus)... afinal a ideia geral do conceito é por um lado mais abrangente, e por outro não tem preocupações ao nível de uma categorização... é um conceito mais " aberto"... mais "2.0"


De Paulo Carvalho a 9 de Dezembro de 2006 às 00:42
Olá.
Depois do meu comentário de há pouco em resposta ao desafio «E-Learning Adventures Beyond the LMS (versão 2)» neste blog, ter abordado a tão apregoada e pouco praticada individualização do ensino, julgo que este novo termo «Identidade Digital» surge como ouro sobre azul. Esta é a prova de que num ambiente público, massificado, generalizado e aberto a todos como é a web, é necessário criar uma individualidade para cada cidadão, para o identificar entre os outros. Se falarmos em processos de ensino-aprendizagem, muito mais vincada será, ou deverá ser, essa individualidade. Como estamos em ambiente digital, que outra designação melhor do que «Identidade Digital» para caracterizar cada aluno individualmente? Ora, isto pressupõe o tal Personal Learning Environment, uma espécie de gestão personalizada do ensino digital numa perspectiva de «diferente entre iguais».

Em horas decentes, desenvolverei um pouco mais... Até já (na aula)!!!

Saúde PC


Comentar post

mais sobre mim
tags

todas as tags

links
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post